Pages

segunda-feira, maio 28, 2007

Quem com ferro fere, com ferro será ferido

Newton foi um cientista inglês do século XVII que enunciou, dentre outras leis, a lei da Ação e Reação. Em síntese, a lei natural é enunciada da seguinte maneira: "Toda ação promove uma reação, de mesma intensidade, mesma direção, mas de sentido contrário". Se essa lei rege todos os corpos do universo e nós somos corpos do universo... (!) todas nossas ações promovem reações!
Se as pessoas estudassem um pouco mais de física, talvez não viveríamos num mundo de tanta hipocrisia. Talvez assim deixaríamos de culpar os famintos, os pedintes, os favelados e os analfabetos pela violência, pelo não crescimento econômico deste ou de qualquer outro país. Talvez seríamos capazes de tirar a máscara da vaidade e da "não-tenho-nada-com-isso" para enxergar que a situação caótica que estamos vivendo é o fruto de um passado regido pelas desigualdades, desamparo estatal, apatia social, falta de educação, elitização do ensino e da cultura e da histórica e vergonhosa lama de corrupção que envolve nosso país desde sempre.
Falando em corrupção, acho engraçado a mania que temos de acreditar que os casos de corrupção do nosso país acabam em "pizza", sem justiça e caindo no esquecimento popular. Mas quem falou que a corrupção não "dá em nada"? Ora, não é essa mesma nuvem de corrupção, que gera o descrédito da população nos seus governantes? Não é essa mesma corrupção que causa os desvios da merenda escolar, desvio de verbas para contrução e melhoramentos de escolas, hospitais e centros de reabilitação? Essa corrupção somada a falta de um Estado compromissado com o bem-estar social e com uma sociedade plástica e apática gera os marginalizados, a violência, a fome, o desespero, a angústia, o pânico, o caos.
Não adianta acreditar que as reações não vão acontecer. Elas acontecem. Os desempregados, os que estão à margem da sociedade, os que moram em palafitas, nas ruas, nos esgotos, os mortos de fome, os discriminados... todos eles reagem. Estão reagindo. Não adianta fechar os olhos. Não adianta fingir que não fizemos nada. Fazemos. Fazemos todos os dias, em todos os instantes. Fingimos não ver a miséria, talvez porque pareça menos doloroso, mas que adianta se a reação vai chegar? Se ela sempre chega. Pior, muito pior, que o erro, é fingir que não está vendo e continuar errando. Se as desigualdades só aumentam, se a elite cada vez enriquesse mais, se a fome mata mais do que antes, se os corruptos voltam para o poder, se as pessoas estão cada vez mais virtuais e menos reais, se... se... se nada está sendo feito para mudar todas essas ações.... como ficará quando todas essas ações promoverem juntas uma reação de sentido contrário?
Lastimável.
Mas nem tudo anda perdido...
Segundo a segunda lei de Newton, "Força= massa X aceleração"; bom, talvez será possível construir um realidade menos massacrante, mas para isso, a força precisa ser muito grande, logo, é preciso uma grande massa, a massa de um povo inteiro, junto, unido, compromissado, confiante e será preciso também que essa ação ocorra logo, com grande rapidez, numa grande aceleração. Assim será possível mudar a realidade, será possivel gerar novas reações oriundas de boas-ações.
Para o término de nosso estudo sobre a dinâmica física, é preciso lembrar da Primeira Lei de Newton; é a lei da Inércia: "Se um corpo está em repouso, continuará em repouso(até que sofra ação de uma força externa); um corpo em movimento tende a permanecer em movimento(mesmo cessada a força que gerou o movimento)". Ora, precisamos, portanto, de uma força inicial, que gere o movimento, que promova as mudanças, que acabe com apatia, com a falta de preocupação social, que rompa a inércia, que gere uma força capaz de girar as engrenagens de um mundo melhor. Não adiantar achar a idéia bonita. Não adianta cruzar os dedos, fechar os olhos e ficar na torcida. É preciso começar. Uma caminhada começa com o primeiro passo. Um reta é formada de infinitos pontos.
Comecemos.
(Acho que essa Física deveria ser ensinada nas escolas, queria que existissem escolas de verdade).

4 comentários:

Éverton Vidal disse...

Quanta criatividade rsrsrs

"queria que existissem escolas de verdade"... com raras excessoes elas nao existem... felizmente existem (pelo menos) professores de verdade.

Inté!

Bia Ferreira disse...

Bom texto... Pena que o assunto é tão indigesto... rss

Anônimo disse...

Gostei muito do texto quiria também que existice escola de verdade.
Ñ fasso texto assim mais escrevo poemas.

sara disse...

gostei muito do texto